Para secretário, drenagem 'funcionou'

Chico Macena, da Coordenação das Subprefeituras, ressalta que enchentes vão continuar até que obras estruturais sejam concluídas

O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2013 | 02h07

Responsável por zelar pela limpeza pública - incluindo bueiros, galerias pluviais e córregos - o secretário de Coordenação das Subprefeituras, Chico Macena, afirmou ontem que a cidade respondeu positivamente às chuvas. "Minha avaliação é que as águas escoaram mais rápido do que anteriormente e a limpeza foi realizada."

Ele atribuiu o resultado às ações antienchente anunciadas em janeiro. "Temos um procedimento operacional padrão que o prefeito determinou em janeiro. Em todos os pontos de alagamento que houve ontem (anteontem), os serviços de limpeza pública entraram para as águas escoarem. Hoje (ontem) de manhã, em todos os corredores o trânsito fluiu normalmente. Desde que o prefeito anunciou o plano, limpamos 90 mil bocas de lobo, 213 km de córregos, mais de 90 km de ramais e galerias, retiramos 1,4 mil tonelada de entulho e definimos operação em áreas prioritárias da cidade para retirar o lixo da varrição."

No entanto, Macena afirmou que as enchentes vão continuar ocorrendo até que sejam feitas obras estruturais para resolver o problema. "O que fizemos foram medidas que poderiam ser adotadas nesses 45 dias e deram resultado", avaliou.

O prefeito Fernando Haddad não comentou os impactos da chuva com a imprensa. A Prefeitura diz não ter registrado transbordamento de nenhum rio ou córrego na cidade, o que foi visto pelo gabinete do prefeito como resultado das ações de limpeza.

A Prefeitura afirma que cumpriu ou está cumprindo todas as 16 metas impostas por Fernando Haddad para combater as enchentes. A administração afirma que já foram realizadas as limpezas de 120 mil bocas de lobo. O problema, porém, continua mesmo em vias onde a administração diz que fez a limpeza. "Nunca vi limpeza nenhuma aqui, mas se fizeram só essa chuva de ontem sujou novamente", disse a jornaleira Sônia Castro, de 58 anos, que trabalha na Rua Pedroso de Morais, em Pinheiros, na zona oeste.

Também entre as metas a Prefeitura afirma que fez convênio com a Sabesp para o fornecimento de caminhões de hidrojatos na época de chuvas. A companhia, porém, afirma que o convênio ainda não foi firmado.

A contratação do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) para dar cursos de capacitação de servidores está sendo elaborada. A Prefeitura gastará R$ 66,3 mil para capacitar 120 funcionários a mapear áreas de risco.

Coleta de lixo. O prefeito também prometeu colocar contêineres para coletar lixo no Brás, Bom Retiro e 25 de Março. O equipamento não foi colocado, mas a Prefeitura mudou a logística de coleta, mudando da noite para a manhã, para evitar acúmulo de lixo. /ARTUR RODRIGUES E BRUNO RIBEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.