Para resgate, afogamentos em SP deve ser menor que em 2007

Corpo de Bombeiros do Guarujá aposta na redução apesar de duas vítimas recentes encontradas nesta terça

Rejane Lima, O Estado de S.Paulo

04 de novembro de 2008 | 20h04

Apesar das recentes mortes por afogamento no litoral paulista, a expectativa do Corpo de Bombeiros é que 2008 seja um ano menos fatal que 2007 para os banhistas paulistas. "Os números devem ser menores esse ano. Estamos com 64 óbitos até agora, contra 90 óbitos em 2007. Se Deus quiser a gente vai abaixar esse índice", afirmou o tenente do Corpo de Bombeiros do Guarujá, Daniel Dias, que destaca o trabalho preventivo. Segundo estatísticas, o perfil da vítima fatal na costa paulista é de homens entre 18 e 25 anos que moram da zona leste de São Paulo. "Estamos fazendo a prevenção indireta, que consiste em palestras em escolas, principalmente dessa região, e distribuição de folders nos terminais rodoviários e pedágios das rodovias", disse Dias, destacando que no verão, o efetivo de guarda-vidas aumenta de 700 para 1,3 mil homens. No último final de semana, dois turistas desapareceram no mar do Guarujá. O corpo de Márcio Gonçalves de Sousa, de 27 anos, morador de Bragança Paulista, foi encontrado por volta das 23h30 desta terça-feira, 3, na praia da Enseada, local onde se afogou na noite da última sexta-feira. O morador de Jundiaí, Josiel de Paula Santos, de 19 anos, afogou-se na praia de Pitangueiras na manhã de sábado e suspeitou-se que um corpo encontrado essa manhã, na Ponta da Praia seria dele. No entanto, o Instituto Médico Legal de Santos informou que o corpo encontrado é de um adolescente entre 14 e 17 anos que teria se afogado poucas horas antes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.