Para promotor, lista reforça suspeita de que construtoras integravam esquema

Bodini afirma já ter provas para inidiciar fiscais, mas é preciso investigar a 'outra ponta, os empresários'

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

10 Dezembro 2013 | 14h57

SÃO PAULO - O promotor de Justiça Roberto Bodini disse em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira, 10, que a descoberta da lista com 410 obras em que a quadrilha do ISS em São Paulo atuou reforça a possibilidade de que as construtoras colaboravam com o esquema de forma voluntária, praticando corrupção.

O Estado revelou na edição desta terça que ao menos 35 construtoras estão na lista. O número, no entanto, não está fechado porque cada uma das 410 obras tinha um registro de CNPJ diferente e é preciso rastrear as empresas-mãe. "A Prefeitura nos forneceu uma lista de empreendimentos fiscalizados pelos auditores da quadrilha com centenas de obras, checamos os valores de algumas guias nas duas listas e os números batem até os centavos. Entretanto, a lista da Prefeitura mostra também outras obras fiscalizadas por eles e que recolheram impostos altíssimos, acima de R$ 400 mil. Isso reforça a possibilidade de que as empresas que queriam pagavam imposto normalmente", disse o promotor

O Ministério Público requisitou hoje cópia das guias de ISS recolhidas pelas 410 obras suspeitas. Será mais uma checagem de valores da planilha. O documento foi encontrado em um computador da casa da ex-mulher do auditor Luis Alexandre Cardoso de Magalhães. O casal de separou quando Magalhães decidiu viver com Vanessa Caroline Alcântara, que, por sua vez, se transformou em uma das principais testemunhas de acusação contra a quadrilha.

Polícia. Dada a quantidade de empreendimentos a serem analisados, o MP dividirá esforços com a Polícia Civil na apuração do caso. "São 410 casos de corrupção separados. Nossa legislação não difere muito se a pessoa cometeu 10 ou 50 crimes de corrupção. Para indiciar os fiscais já tenho provas mais do que suficientes, mas temos que investigar a outra ponta, os empresários. E vamos indiciar todos eles", disse o promotor. Uma reunião nesta quarta-feira, 11, deve definir os detalhes da parceria.

Mais conteúdo sobre:
ISS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.