Para pressionar Kassab, vereadores usam caso de 1997

O "centrão" mostrou ontem que não deve deixar Kassab em paz, independentemente do resultado da eleição. Após pedir na semana passada CPI para investigar compra de frango superfaturado na gestão Paulo Maluf (1993-1996), um dia após o ex-prefeito declarar apoio a Police Neto, vereadores liderados por Rodrigues entraram com três representações no Ministério Público Estadual. Nas ações, Aurélio Miguel (PR) acusa Kassab de provocar prejuízo de R$ 130 milhões (em valores corrigidos) em falhas de arrecadação de IPTU e contrapartida financeira. O governo nega qualquer irregularidade.

, O Estado de S.Paulo

14 Dezembro 2010 | 00h00

Duas das representações levam em conta relatórios do Tribunal de Contas do Município que apontam diferença de R$ 15 milhões (R$ 81 milhões, em valores corrigidos) em valores pagos por dois grandes contribuintes como contrapartida à Operação Urbana Faria Lima, criada em 1995. Os termos de compromisso foram assinados em 1997, época em que Kassab era secretário de Celso Pitta (1997-2000).

Em nota, o governo informou que não era o então secretário Kassab que definia contrapartidas na Operação Urbana, e sim empresas cadastradas na Secretaria Municipal de Planejamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.