Para pensar o design urbano

Sete designs participantes do fórum Boom SP Design opinam sobre o melhor e o pior de São Paulo

Edison Veiga; de O Estado de S. Paulo,

24 de outubro de 2008 | 01h00

Termina nesta sexta-feira, 24, no Shopping Iguatemi, o Boom SP Design, um fórum internacional que reúne alguns dos principais designers do mundo. Não é o único evento sobre o tema que São Paulo sedia por esses dias. A convite do Estado, sete participantes do Boom SP Design deram opiniões sobre temas como Lei da Cidade Limpa, sustentabilidade, pontos de ônibus entre outros. São eles: o egípcio Karim Rashid, o belga Arne Quinze, o grego Andreas Angelidakis, os norte-americanos Todd Bracher e Brent White e os brasileiros Chico Bicalho e Mauricio Queiroz.  Leia as entrevistas na íntegra:Andreas AngelidakisArne QuinzeBrent WhiteChico BicalhoMaurício QueirozKarim RashidTodd Bracher Leia trechos das entrevistas: MELHOR E PIOR DE SÃO PAULO Andreas Angelidakis - "São Paulo é simplesmente fantástica. Acho que como muitas grandes cidades, é parte design, parte acidente e parte milagre. Eu adoro o Sesc Pompéia e o Masp - dois prédios da arquiteta Lina Bo Bardi. Caminhar para cima e para baixo na Paulista é uma grande experiência urbana. A vista do alto do Edifício Itália é talvez a mais bela "coisa". Não sei se posso dizer o que é feio. Suponho que a pobreza e a desigualdade social, mas os brasileiros sempre conseguem sorrir. E você vê felicidade." Brent White - "Estou ansioso para conhecer algo de Oscar Niemeyer e Burle Marx." Mauricio Queiroz - "Maior beleza: o centro histórico. Hoje sujo, violento, degradado, esconde prédios lindos, viadutos históricos, praças cheias de história. É um diamante a ser lapidado. O mais feio: os corredores viários, como a Avenida Santo Amaro, a Radial Leste e o Minhocão. Foram atropelados pelos automóveis, têm fraturas expostas." Chico Bicalho - "A maior beleza é a cultura e a coisa mais feia, os engarrafamentos de 140 quilômetros."  PARQUES Arne Quinze - "Parques podem fazer as pessoas conviverem, em vez de recolherem-se em seus quintais. A principal função deles é conectar pessoas em uma comunidade, literal e figurativamente. Visitantes devem descobri-los como um local de contemplação e silêncio, mas também como um lugar onde podem encontrar-se e interagir com os seus vizinhos." Brent White - "Uma boa iluminação ajuda a manter o espaço seguro durante a noite. Por sua vez, garante limpeza durante o dia." Todd Bracher - "Parques são para mim um lugar para se sentir frescor sob os pés. Tornam o concreto do entorno ainda mais bonito, pelo contraste com o verde. Permitem-nos desfrutar de fato a cidade. Não como uma fuga, mas como um contraste dela." Chico Bicalho - "Qualquer cidade precisa de muitas árvores em todos os lugares. A sombra de uma árvore é o lugar perfeito para o lazer em qualquer parque urbano do mundo." Karim Rashid - "De modo ideal, nossos ambientes públicos devem transpirar energia positiva, altas experiências, design contemporâneo, um novo conforto que é uma extensão da nova era da casualidade e bem-estar espiritual - um lugar para desfrutar, relaxar, conviver, trabalhar e envolver experiências memoráveis." PONTOS DE ÔNIBUS Andreas Angelidakis - "Paradas de ônibus são interessantes, como todos os lugares onde você espera. A espera é um momento de ansiedade e de contemplação. Eu acho que (se fosse convidado a desenhar pontos de ônibus) iria incidir sobre essas duas qualidades, além da segurança." Brent White - "(Os pontos precisam ter) interação humana, auto-suficiência, design mais eficiente, proteção para os usuários - e talvez alguma coisa relacionada ao espaço imediato onde ele se encontra." Todd Bracher - "(O maior desafio é) conceber uma peça que pode funcionar visualmente nos vários contextos da cidade, do centro financeiro e áreas comerciais às zonas subdesenvolvidas. Deve haver uma solução universal para toda a cidade." Mauricio Queiroz - (Um ponto de ônibus ideal precisa ser) seguro, interativo e informativo, e plasticamente maravilhoso." CIDADE LIMPA Andreas Angelidakis - "Outdoors podem ser divertidos e emocionantes, mas limpar também é interessante. Cada vez que você muda alguma coisa em uma cidade, muda suas características. Estou mais interessado em observar essas mudanças do que em encontrar a solução ‘correta’." Brent White - "Estou feliz e surpreso em saber que a lei passou. Suponho que isso irá obrigar os publicitários a se tornar mais espertos ao definir como e onde eles podem exibir suas mensagens." Todd Bracher - "Deveria haver uma forma equilibrada para anunciar. A publicidade é uma outra camada da cidade, que muda constantemente permitindo que ela continue a ser atual e viva com a sua época." Mauricio Queiroz - "Estamos no meio do processo. Existe um ditado chinês que diz que devemos bater no mato para as cobras aparecerem. A continuação seria o incentivo a proprietários e empresas a restaurar (suas fachadas)." Chico Bicalho - "Agora que se tirou o tapete de cima, é necessário limpar a ‘sujeira’ arquitetônica. É uma pena que cidades importantes brasileiras, onde havia prédios históricos interessantes tenham se transformado em pesadelos arquitetônicos, com caixotes de concreto pichados, esquadrias de alumínio e prédios inexpressivos."  SUSTENTABILIDADE Arne Quinze - "(No futuro) as casas vão extrair toda a energia possível - do vento, da água, do sol... - para satisfazer as suas próprias exigências, bem como as necessidades dos seus habitantes. Os carros que eu tenho em mente para o futuro não vão precisar de rodas, serão movidos por magnetismo e fontes ecológicas de energia, menos ruidosos e muito leves." Andreas Angelidakis - "A sustentabilidade é uma forma de pensar, não uma tecnologia. Talvez comprar menos e necessitar menos seria uma solução mais sustentável." Brent White - "Assim como se tornou padrão na construção proteções contra incêndios e recursos de acessibilidade, a sustentabilidade vai naturalmente se tornar um requisito mínimo. Os produtos sustentáveis são caros porque a demanda ainda é baixa atualmente."  Karim Rashid - "Depende da utilização de novas tecnologias, novos materiais e, naturalmente, de uma melhor concepção. Tenho trabalhado com empresas para reduzir as suas linhas de montagem, agilizar a produção, aumentar a eficiência e elevar a qualidade do produto que fazem. Atuo como um editor de design ou editor cultural de nosso mundo físico." MAIS EVENTOS PELA CIDADE Começa nesta sexta-feira no Instituto Tomie Ohtake (Avenida Brigadeiro Faria Lima, 201, Pinheiros, tel. (11) 2245-1900) a exposição Karim Rashid - Arte e Design num Mundo Global. A mostra ficará em cartaz até 4 de janeiro.  Desde quinta-feira a Panamericana Escola de Arte e Design (Avenida Angélica, 1900, Higienópolis, tel. (11) 3661-8511) expõe peças e projetos criador por jovens designers - alunos e ex-alunos da instituição -, premiados em concursos. O Metrô também embarcou no mundo do design pop. Desde o começo do mês, 11 painéis de Karim Rashid estão na Estação Clínicas - ficam ali até dia 30 de novembro. Durante todo o mês que vem, a Estação São Bento exibirá a série de molduras Soldados de Chumbo, de Laerte Ramos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.