Para não errar no Dia das Mães

Confira dicas de três compradores profissionais para surpreender

Valéria França, O Estado de S.Paulo

01 de maio de 2010 | 00h00

Esta é a época do ano em que muitos filhos se fazem a mesma pergunta: que presente dar no Dia das Mães? Para ajudar na escolha, três personal shoppers - ou compradores profissionais - dão dicas de como não errar na hora da compra e fazer bonito no próximo fim de semana.

A primeira lição, e talvez a mais importante, é pensar no que ela de fato gostaria de ganhar. "Tem muita gente que acaba escolhendo o presente pensando em si mesmo", diz Paula Lang. "Uma vez eu mesma dei uma bota de montaria para a minha mãe porque estava na moda. Ela disse que adorou, mas foi parar no guarda-roupa da minha irmã."

O segredo para isso é conseguir enxergar a mãe no presente, o que nem sempre é fácil. "O ideal é procurar saber o que ela quer. Vale de tudo, até perguntar para o irmão mais próximo que ainda vive com a família", afirma Paula.

Não se intimide em ir mais fundo e investigar os mínimos detalhes do presente. "Meu filho pergunta a cor e até o tecido da roupa que eu quero. Porque ele sabe que eu sou chata", conta Kika Pagnot, personal shopper e mãe de Diogo, de 13 anos. "Ele tem uma grande preocupação em não me frustrar. Acho ótimo."

Se a opção for uma roupa, é muito importante ficar atento ao tipo físico de quem vai ganhar o presente.

A roupa tem de cair bem. No caso de um vestido, o modelo envelope fica melhor em mulheres com busto avantajado, o trapézio para as mais gordinhas, o longo para as longilíneas, o tubinho para as mais clássicas, o florido para as mais jovens.

Tentar surpreender é sempre bom, mas é preciso cuidado com os contratempos. O próprio Diogo, por exemplo, passou o maior sufoco depois de encomendar uma cesta de café da manhã no Dia das Mães e a entrega atrasar. "Percebi que ele estava sem saber o que fazer e colaborei enrolando para fazer o café da manhã. Até que, enfim, a cesta chegou", lembra Kika.

Beleza. Para o também personal shopper Fabiano Menna, produtos de beleza sempre dão certo. "Hoje há tantos cremes, perfumes, terapias corporais e xampus que não tem mãe que resista", ensina. Mais uma dica: as mulheres, segundo ele, preferem sempre coisas de beleza a utensílios para casa. "Elas querem estar bem arrumadas e bem tratadas", afirma Menna.

E, finalmente, quanto se deve gastar no presente? "O quanto quiser e puder", responde ele. "Mas, se o objetivo for economizar, é sempre legal fazer uma cotação de preços na Rua 25 de Março antes de ir ao shopping."

DICA DE ESPECIALISTA

Mães clássicas: Fábio Menna (www.fabianomenna.blogspot) sugere um colar de pérola inspirado em Chanel.

Mães ecléticas: Paula Lang aposta em kits personalizados, que mostrem o quanto o filho está por dentro do gosto da mãe. Pode ser uma coleção de livros de jardinagem, peças de lingerie ou produtos de beleza.

Mães em geral: Kika Pagnot (kikapagnot.com.br) sugere um vestido, peça que a maioria das mães usa. Nesse caso, o segredo é sondar quais lojas ela costuma frequentar.

ONDE: AMSTERDAM SAUER, TEL.: (11) 3816-6225 (COLAR). LEVITAS, AV. REPÚBLICA DO LÍBANO, 874, VILA NOVA CONCEIÇÃO, TEL.: (11)3054-7922 (MASSAGEM). CASA SANTA LUZIA, AL. LORENA, 1.471, JARDINS, TEL.: (11) 3897-5000 (CESTAS). PREÇOS: COLAR, SOB CONSULTA; MASSAGEM RELAXANTE, R$ 110; CESTAS MONTADAS, A PARTIR DE R$ 38 - SE FOR PERSONALIZADA, DEPENDE DOS ITENS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.