Para morador, proposta não beneficia bairro

As opiniões no bairro são divergentes. Sérgio Carrera, integrante do movimento SOS Parque Augusta, afirma que o abaixo-assinado não é claro porque dá a entender que o proprietário realiza benesses ao permitir o parque. Ele afirma que a área verde, de certa forma, já pertence à população, pois é tombada, e moradores têm o direito adquirido de circular ali. "Esse abaixo-assinado tenta fazer a cabeça dos moradores. Mas não traz benefícios."

Márcio Pinho, O Estado de S.Paulo

06 Dezembro 2010 | 00h00

Ele questiona o porquê de a Prefeitura ter decretado a utilidade pública do terreno há dois anos e ainda não ter desapropriado a área até hoje. A Prefeitura diz que o processo de desapropriação "transcorre normalmente, dentro das etapas previstas". Atualmente é feita a valoração da área. A Prefeitura não disse se conhece o novo projeto.

A moradora Sharon Sevilha afirma que a área já é usada pela população e a divisão do terreno seria uma perda. Ela teme que o condomínio inviabilize o uso do parque pelo público.

Para a adestradora de cães Gisele Razoouk, a ideia de ter um parque menor, mas administrado pelo condomínio, é positiva. "Não sei se haveria manutenção da Prefeitura."

No entanto, para Luis Cuza, integrante e presidente da Ação Local do programa Viva o Centro, o parque na área toda seria o ideal. Mas caso a Prefeitura não tenha dinheiro ou vontade de fazê-lo, a pior opção é manter a área como está. Nesse sentido, apoia o projeto apresentado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.