Para Metrô, falhas seguidas foram 'coincidência'

O gerente de Operações do Metrô, Wilmar Fratini, disse que as falhas de ontem foram potencializadas pelo fato de as estações estarem superlotadas nos horários de pico. "Existe uma dificuldade maior de esvaziar um trem com problema em uma estação que também está superlotada." Para o Metrô, as falhas de ontem foram uma coincidência, uma vez que, "estatisticamente, o número de ocorrências assim é de uma por semana".

O Estado de S.Paulo

15 Março 2012 | 03h01

Fratini disse ainda que o Metrô faz 4 mil viagens por dia - "99% delas são completadas". "Não tem nada fora do controle", afirma. Ele explica que há um esforço para reduzir as ocorrências, mas admite que "100% é impossível", "Não existe nenhum sistema infalível. É desconfortável esperar antes de entrar na estação, mas é melhor assim (do que permitir um acidente)." / B.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.