Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Para major da PM, não é necessário reforço na segurança da USP

Comandante do 16° BPM considera assassinato de aluno 'fatalidade' e acredita que jovem reagiu

Solange Spigliatti, Central de Notícias

19 de maio de 2011 | 15h03

SÃO PAULO - A Polícia Militar acredita que ainda não é necessário reforçar a segurança no câmpus da Universidade de São Paulo (USP), na zona oeste da cidade. "Até o momento, não tenho informações se haverá mudanças no modo de fazer o patrulhamento dentro do câmpus, mesmo porque uma nova operação com novos policiais acabou de entrar em vigor e vem dando resultados positivos", explica o comandante interino do 16º BPM, major José Luiz de Souza. O batalhão é responsável pelo patrulhamento da região da Cidade Universitária.

 

Veja também:

linkAlckmin diz que PM está à disposição para reforçar segurança na USP

linkPolícia investiga se aluno foi abordado por mais de um

som 'Estadão ESPN': Diretor da FEA defende PM na universidade

 

"Consideramos esse assassinato uma fatalidade, acreditamos que o estudante morreu por ter reagido", completa, orientando as pessoas a não reagirem diante de uma tentativa de assalto. De acordo com o major, na hora do crime, um guarda universitário escutou o estampido do tiro e viu quando um veículo, que não soube descrever, saiu em alta velocidade. Outro homem teria saído correndo.

 

"Estávamos fazendo um bloqueio próximo ao portão 3 e seguimos para lá, mas não conseguimos encontrar o carro, pois não tínhamos as características do veículo nem do homem que fugiu", acrescenta.

 

Ainda segundo ele, o policiamento no interior da universidade era feito por dois subsetores, que contavam com uma viatura e dois policiais. Devido ao grande número de ocorrências criminais, principalmente roubos de veículos, a reitoria da universidade solicitou ajuda.

 

Desde o dia 25 de abril, a segurança conta com equipes de quatro viaturas e duas motos para fazer o patrulhamento, incluindo pontos de estacionamento. De acordo com o major, esses policiais fazem bloqueios diários de trânsito em áreas de acesso à universidade, nos períodos das 7h às 14 e das 19h às 23, verificando carros e motos que entram no campus.

 

Levantamento da PM mostra que com o aumento do efetivo a partir do dia 25, houve redução de número de ocorrências. Em abril, foram registrados 17 furtos de veículos e em maio apenas dois. Roubo a transeuntes também diminuiu, de sete no mês passado para três casos. O número de roubo a veículos no mês passado foi de seis e até agora foram cinco. "Isso demonstra que a operação no policiamento tem dado resultado positivo", comenta o major.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.