Para maioria dos lojistas, movimento de clientes não caiu

Entre dez lojistas do Shopping Center Norte ouvidos pelo Estado ontem, dois consideraram que o movimento caiu após a Cetesb divulgar na sexta-feira que o local corre o risco de explodir pela concentração de metano. "Percebi que no domingo, especialmente, o número de pessoas nos corredores e nas lojas foi um pouco menor do que o dos dias comuns. É um reflexo claro", afirmou o gerente da World Tennis, Johnny Cássio.

O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2011 | 06h03

Lívia Maria, da loja de roupa íntima Puket, também afirmou que o domingo foi muito fraco. "O sábado foi normal, mas o domingo surpreendeu os nossos funcionários pelo público menor."

Outros lojistas preferiram ser mais cautelosos. Para Bruno Souza, gerente da papelaria Papel Magia, ainda não foi possível perceber nenhuma queda de movimento. Ele disse esperar que a polêmica não continue por avaliar que uma exposição mais longa poderia, sim, trazer impacto. Compartilharam da opinião outros gerentes de lojas de brinquedos, roupas e joalherias. A Assessoria de Imprensa do shopping não comentou o possível impacto da polêmica para o comércio local. / M.P.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.