'Para mãe, foi difícil entender que coração bate', diz médica

Eloá teve morte encefálica anunciada no sábado e aguarda agora a retirada dos órgãos para doação

Redação,

19 de outubro de 2008 | 16h24

A médica Rosa Maria Aguiar, diretora do Centro Hospitalar Municipal de Santo André, explicou na tarde deste domingo o processo para a remoção dos órgãos da menina Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, que teve morte encefálica decretada às 23h30 deste sábado. Eloá foi baleada na cabeça após quatro dias como refém do ex-namorado, o jovem Lindembergue Alves, 22.   Leia também:Eloá passará por cirurgia para doação de órgãosLindembergue é autuado por 5 crimes e será ouvidoNayara não falará com a polícia no hospital, diz secretárioSegundo perito, primeiro tiro teria sido dado por Alves na cabeça de EloáÀ frente da negociação, uma rotina insoneConfira cronologia do seqüestro  Seqüestro em Santo André é o mais longo registrado em SPGaleria de fotos do seqüestro   'Para a mãe, foi muito difícil entender que coração está batendo, mas não tem mais vida', contou. ‘Mas ela elaborou bem a questão e esse sofrimento todo vai dar alegria a muitas pessoas, se  Deus quiser’, acrescentou. Ela detalhou os procedimentos para a retirada dos órgãos. Segundo ela, a família assinou o documento autorizando a retirada dos órgãos.  Neste momento são realizados os exames de compatibilidade, parte no próprio hospital de Santo André e parte no Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, em São Paulo. Estes exames irão identificar possíveis receptores para os órgãos de Eloá. A retirada do órgão ficará a cargo do hospital para onde irá o órgão. Rosa Maria confirou que a retirada dos órgãos deve mesmo acontecer à noite e disse acreditar que a maioria dos órgãos possa ser utilizada.  Ela explicou que as funções vitais de Eloá serão mantidas com vida até a retirada completa dos órgãos e prevê que o corpo de Eloá deve seguir para o IML às 6h da segunda-feira, dia 20. Nayara Sobre Nayara, a amiga de Eloá que também era mantida refém e foi baleada na boca, Rosa Maria disse que está se recuperando bem. Segundo Rosa Maria, Nayara continua na semi-intensiva não por risco, mas por privacidade.

Tudo o que sabemos sobre:
EloáSanto Andréseqüestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.