PARA LEMBRAR: Contrato foi prorrogado

Após o prefeito Fernando Haddad cancelar a concessão avaliada em R$ 46,3 bilhões do sistema de ônibus da cidade, as viações tiveram o contrato prorrogado por mais um ano. Dessa maneira, a administração municipal vai manter o esquema de remuneração das empresas nesse período.

O Estado de S.Paulo

05 Setembro 2013 | 02h05

Atualmente, a Prefeitura estuda uma maneira de reduzir o lucro das viações para o próximo contrato de concessão do transporte. Segundo Haddad, o lucro sobre o volume de recursos arrecadados é de aproximadamente 6% e o calculado em relação ao investimento chega a 14%. A margem de lucro das 17 empresas concessionárias de ônibus de São Paulo no ano passado foi de R$ 152,5 milhões.

Mais conteúdo sobre:
spÔnibusCMTC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.