Para juíza, cracolândia é pior que o holocausto

A juíza Ivone Caetano, da 1.ª Vara da Infância e Juventude, disse que a "cracolândia é pior que o holocausto", ao defender ontem a portaria da prefeitura do Rio que estabelece internação compulsória de crianças que usam crack. A medida provocou críticas de juristas, que alegam que a portaria fere o direito de ir e vir. A juíza, promotores e o secretário municipal de Assistência Social, Rodrigo Bethlem, se reuniram ontem para refutar as críticas à portaria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.