Para governo, centro deve atrair mais negócios para SP

Secretaria diz que área não tem vegetação nativa e local precisa voltar a ser atraente para novos investimentos

O Estado de S.Paulo

29 Outubro 2012 | 03h05

O projeto tem como principal objetivo fazer com que São Paulo retome sua posição de liderança entre os principais polos de eventos na América Latina, diz o governo do Estado. "A posição foi perdida para cidades como Buenos Aires e Rio de Janeiro, dada à indisponibilidade de espaços adequados para abrigar grandes eventos", escreveu o secretário de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Julio Semeghini, em ofício enviado à Assembleia Legislativa para justificar a ampliação do centro de exposições na Rodovia dos Imigrantes.

Segundo Semeghini, enquanto o número de eventos de negócios no mundo todo cresce a uma taxa de 6% ao ano, no Brasil este valor cresce a uma taxa de 22%. "Desta forma, este projeto objetiva, além da atração de feiras, exposições e eventos de grande porte para a cidade de São Paulo, o fomento da economia local, atração de novos negócios, criação de empregos e promoção de ações de compensação ambiental", afirmou.

Segundo a pasta, o projeto não trará impactos à natureza ou à vegetação do parque, uma vez que a área que será ocupada pelo novo empreendimento não tem vegetação nativa. Por causa disso, essa mudança seria permitida pela legislação estadual que rege sobre a preservação do Parque Fontes do Ipiranga.

No estudo de viabilidade feito pelo governo antes de enviar o projeto de lei, foi constatado também que faltam hotéis na região do Aeroporto de Congonhas, do Zoológico e do Jabaquara, onde fica a sede do Banco Itaú, conforme lembrou o governo. Isso tornaria o local atraente para esse tipo de investimento, porque as taxas de ocupação e o valor médio das diárias vêm crescendo ano a ano em São Paulo.

Além disso, o novo pavilhão a ser construído na Imigrantes também poderá funcionar como espaço multiuso para receber shows de música e espetáculos, o que também deverá suprir uma carência da cidade, segundo o governo estadual. / R. B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.