Para governo, Alto Tietê não estava em crise há um mês

Há exatamente um mês, o governo Geraldo Alckmin (PSDB) negou que o Sistema Alto Tietê também estivesse em crise de estiagem e disse que a reportagem do Estado tentava provar que a água dos principais mananciais paulistas iriam acabar.

Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

12 Julho 2014 | 02h02

"A Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos lamenta que, depois de reiteradas e infrutíferas tentativas de provar que a água do Cantareira vai acabar, o Estadão agora encampa a tese de que outro sistema - o Alto Tietê - vai 'secar' e 'entrar em colapso'", informou a assessoria de imprensa da pasta em nota enviado por e-mail no dia 13 de junho.

"As projeções da Sabesp indicam, na verdade, que o sistema tem água suficiente para garantir o abastecimento até a próxima estação chuvosa, graças aos investimentos feitos pela empresa e à ampla adesão à campanha de uso racional da água, em que 91% da população da Região Metropolitana de São Paulo reduziu seu consumo", completou.

À época, o Estado questionou a secretaria sobra a possibilidade de uso do volume morto do Alto Tietê, mas não obteve resposta. Na nota, a pasta disse apenas que a Sabesp acompanha o desempenho desse sistema para definir o melhor aproveitamento. "Não é razoável, como tem feito sistematicamente a reportagem do Estadão, traçar sempre o cenário mais desfavorável".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.