Papa Francisco vira 'cidadão paulistano'

Título foi concedido nesta quarta-feira pela Câmara Municipal a pedido do vereador Gilberto Natalini

ADRIANA FERRAZ, O ESTADO DE S. PAULO

06 Abril 2016 | 19h00

SÃO PAULO - O papa Francisco é agora 'cidadão paulistano'. O título foi concedido nesta quarta-feira, 6, pela Câmara Municipal a pedido do vereador Gilberto Natalini (PV), que pretende se encontrar pessoalmente com o pontífice para entregar a homenagem.

Durante o processo de aprovação do projeto em plenário, o parlamentar até convidou o presidente da Casa, Antonio Donato (PT), para ir ao Vaticano com ele. "Conversando com o Dom Odilo, com o Dom Claudio Hummes, é possível que o papa nos receba para que possamos entregar pessoalmente", afirmou. Segundo Natalini, a possível audiência com o papa, que ele classifica como um dos papas mais populares e mais comprometidos com a humanidade, está em negociação.

Na justificativa da proposta, o vereador ressalta que, assim como os fundadores de São Paulo, o papa Francisco é um jesuíta. "Nascido na Argentina, ele é o primeiro papa da América Latina. Jorge Mario Bergoglio surpreendeu o mundo com seu jeito humilde e espontâneo, e com suas mensagens e atitudes humanísticas e moralizadoras, dando à Igreja a face que os católicos, os cristãos e cidadãos de todos os povos e credos queriam ver", afirma.

Ao lembrar sua passagem pelo Brasil, o vereador, que é defensor das causas climáticas, diz que a mensagem deixada pelo papa nessa área repercutiu na cidade, que tem um enorme passivo ambiental. "O pensamento deste homem revela sua importância não apenas para o cristianismo, mas para todos que anseiam por um planeta mais acolhedor. A Câmara Municipal fica muito orgulhosa de poder prestar esta homenagem ao líder espiritual e jesuíta que representa o Evangelho vivo para o coração dos cristãos e para todos os que o amam, admiram e respeitam, independentemente de cor, raça e religião."

Outros papas. E o argentino não é o primeiro a ganhar a honraria. Seus antecessores, Bento XVI e João Paulo II também foram agraciados em 2005 e 1980, respectivamente. O alemão recebeu o título em mãos quando visitou a cidade, em 2007. Proposta pelo então vereador Domingos Dissei (PSD), a homenagem foi entregue durante missa realizada no Campo de Marte, na zona norte da cidade.

Já o papa João Paulo II foi agraciado há mais tempo. A aprovação do título de "cidadão paulistano" ao hoje santo ocorreu em 1980, a pedido do então vereador Yukishigue Tamura (PMDB). João Paulo II também recebeu a Medalha Anchieta e o diploma de gratidão.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.