Imagem João Domingos
Colunista
João Domingos
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Para força-tarefa, lentidão foi escolha do próprio pontífice

As autoridades responsáveis pela segurança do papa no Brasil divulgaram nota segundo a qual a retenção do carro de Francisco na Avenida Presidente Vargas ocorreu por causa das opções do Vaticano e do próprio pontífice. Afora isso, segundo a nota da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça e da Secretaria de Segurança do Rio, a avaliação foi positiva, pois não ocorreu qualquer incidente envolvendo o papa ou os fiéis.

João Domingos, O Estado de S.Paulo

23 Julho 2013 | 02h02

Representantes das duas secretarias, da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e da prefeitura do Rio participaram de uma reunião de avaliação do evento no Centro Integrado de Comando e Controle do Rio, na noite de ontem. Antes do encontro, o secretário de Transportes do Rio, Carlos Roberto Osório, culpou a Polícia Federal pelo incidente. Segundo ele, a PF não consultou a prefeitura sobre o trajeto entre o aeroporto e o centro. A nota foi uma resposta às críticas.

Para as secretarias, "a velocidade reduzida do comboio e a janela do veículo aberta são fatos que demonstram o perfil do pontífice e incentivam a aproximação dos fiéis."

Mais conteúdo sobre:
papa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.