Para festejar 80 anos, Mercadão abrirá até 2h

Além de horário estendido na noite de quinta para sexta, comemoração incluirá shows, exposição de fotos, queima de fogos e bolo de 100 quilos

TIAGO DANTAS, O Estado de S.Paulo

19 Janeiro 2013 | 02h03

O Mercado Municipal da Cantareira, conhecido como Mercadão, completa 80 anos na sexta-feira - mesmo dia 25 em que São Paulo faz 459 anos. As comemorações devem começar na noite de quinta-feira e atravessar a madrugada com queima de fogos e shows. Lanchonetes ficarão abertas até 2h. E o cardápio da festa não terá apenas os tradicionais sanduíche de mortadela e pastéis de bacalhau: um bolo de 100 quilos será preparado.

Grupos de rock, samba e passistas da X-9 Paulistana vão se apresentar a partir das 21h do dia 24. Às 23h30, o público será convidado a ir às docas, onde será cantado Parabéns a Você. No dia 25, a programação prevê bandas de jazz e choro, das 11h às 18h.

O visitante encontrará 80 fotos antigas de São Paulo espalhadas. As imagens - feitas pelo repórter fotográfico Antonio Aguillar - registram a evolução da cidade desde os anos 1950. Cerca de 3 mil pessoas são esperadas, segundo a Associação dos Permissionários do Mercadão.

Levantamento da São Paulo Turismo (SPTuris) mostra que o Mercadão é o quarto ponto turístico mais visitado da cidade. Dos cerca de 25 mil visitantes diários, 52% são turistas - 15% estrangeiros.

Ele foi projetado para substituir o antigo centro de compras que ficava na esquina da Rua 25 de Março com a Rua General Carneiro. A ideia surgiu em dezembro de 1920. Uma concorrência pública foi realizada, mas nenhuma das 12 propostas apresentadas agradou à Prefeitura, que encomendou o serviço ao escritório do arquiteto Ramos de Azevedo. Já a execução dos vitrais foi entregue ao artista russo Conrado Sorgenicht Filho, que havia feito o mesmo trabalho na Catedral da Sé. A pedra inaugural foi assentada em 14 de abril de 1925. As obras duraram oito anos e enfrentaram a falta de verba e a Revolução de 1932: o prédio, quase finalizado, foi usado para estocar armas, munições e veículos dos constitucionalistas. Na inauguração, em 25 de janeiro de 1933, o Mercadão foi apresentado como o maior edifício do tipo da América do Sul.

Mortadela. O sanduíche de mortadela é marca registrada do local. Foi pensando nisso que o designer gráfico Leonardo Mathias, de 26 anos, fez a ilustração Santa Mortadela (acima), a pedido do Estado, para homenagear os 80 anos do Mercadão. "Pensei em experiências pessoais com o Mercadão. O sanduíche é símbolo que todo paulistano reconhece." Desde 2010, Mathias trabalha como designer. Em 2011, lançou o livro de poesias e ilustrações De Pé (Editora Patuá).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.