Para especialista, caminhões dão nó no trânsito de São Paulo

Engenheiro defende limitação de horário de circulação de veículos de grande porte no centro expandido

Gustavo Miranda, estadao.com.br

11 de março de 2008 | 10h15

Nas últimas duas semanas, a cidade de São Paulo registrou pelo menos quatro recordes de congestionamento para o período da manhã, nas vias monitoradas na capital. Segundo o engenheiro especialista em trânsito, Sílvio Médice, presidente da Associação Brasileira de Monitoramento e Controle Eletrônico do Trânsito (Abramcet), a livre circulação de caminhões pela cidade, nos horários de pico, é o principal complicador do tráfego de veículos na capital, principalmente em vias como as Marginais do Pinheiros e do Tietê. Veja os pontos de lentidão em São Paulo Segundo o engenheiro, a expansão da malha viária da cidade seria a principal solução para os problemas de trânsito que a cidade registra, diariamente. No entanto, esbarra em uma dificuldade: não se amplia ruas e avenidas da noite para o dia. "É claro que a primeira solução seria o Rodoanel, que tiraria substancialmente, um grande número de caminhões das principais vias da cidade. Mas, repare, essa é uma solução de longo prazo. Agora, o que se pode fazer, por exemplo, é limitar o tráfego de veículos de grande porte, pelo menos nos horários de pico", diz. A cidade já tem limitação no horário de circulação de veículos pesados especialmente em áreas centrais. No entanto, o especialista defende com rigor a ampliação dessas medidas. "A gente vem acompanhando esse movimento de crescimento da lentidão no trânsito da cidade com muita atenção. Não dá para falar que os caminhões são os únicos responsáveis pelos problemas. Mas, sendo bem realista, essa é uma situação que tende a piorar. Quando a gente fala em 186 quilômetros de lentidão (índice atingido nesta terça-feira), a gente não está medindo a lentidão na periferia da cidade. Ela deve ser tão alta quanto a do Centro, porque os caminhões estão cruzando a cidade justamente para encontrar a Dutra, a Fernão Dias, e outras rodovias. Se uma medida restritiva não for tomada, a cidade vai continuar morrendo", afirma Médici. O Rodoanel é uma das principais medidas defendidas por especialistas para ordenar a circulação de caminhões na capital. No entanto, apenas o trecho oeste está concluído. A Secretaria de Estado do Meio Ambiente já concedeu o licenciamento ambiental para a face sul. A licença era o documento que faltava para a obra começar. A previsão é que a construção desse trecho termine em um prazo de pelo menos três anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.