Pará diz que prefeito de Manaus é ''destemperado''

O governo do Pará reagiu com indignação ao que chamou, em nota, de "discriminação" contra uma paraense pelo prefeito de Manaus, Amazonino Mendes. Anteontem, ao discutir com a moradora de área em risco, ele sugeriu que ela morresse. Ao saber de sua origem, sentenciou: "Então está explicado."

Carlos Mendes, O Estado de S.Paulo

23 Fevereiro 2011 | 00h00

Segundo o governo do Pará, o prefeito mostrou "desequilíbrio e destempero", deixando transparecer que todo o problema reside no fato de a moradora ser paraense.

A nota considera inaceitável que um ser humano sofra discriminação de qualquer espécie, ainda mais de autoridade pública eleita pelo povo. Para o governo, a atitude de Mendes não reflete o pensamento da maioria dos manauaras e amazonenses, que "historicamente lutam bravamente com os seus vizinhos amazônidas" por "uma sociedade mais justa e fraterna" e uma Amazônia "respeitada nacional e internacionalmente".

Por fim, a nota salienta que muitos paraenses migraram para Manaus. E muitos amazonenses foram para o Pará. Nos dois casos, migrantes foram recebidos de braços abertos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.