Para associação, acidente no Rio levou a 'paranoia'

O presidente da Associação dos Síndicos dos Condomínios Residenciais e Comerciais do Estado de São Paulo (Assosindicos), Marcio Rachkorsky, afirmou que o acidente no Rio criou um clima de paranoia entre os condôminos.

O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2012 | 03h08

Segundo Rachkorsky, o caso fez com que vários condomínios residenciais passassem a contratar engenheiros para a elaboração dos laudos de segurança por contra própria. "Todo mundo quer fazer inspeção agora. Está uma loucura. As pessoas ouvem um barulho de furadeira e querem que o síndico vá olhar a obra do vizinho", disse.

Rachkorsky também afirmou achar que a periodicidade de obrigatoriedade de entrega do laudo seria muito curta pelo projeto defendido por Kassab. "Prefiro que condomínio tenha um engenheiro que dê consultoria, faça inspeção, do que um laudo sobre a estrutura de cinco em cinco anos. Acho exagerado."

Segundo o especialista em condomínios, o valor, de R$ 5 mil a R$ 15 mil, não é muito alto, levando-se em conta um condomínio de mais de 500 metros quadrados. "É uma quantia fácil de absorver", diz Rachkorsky. / A.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.