Papel higiênico e cartão de orelhão viram obras de arte

ARTISTA ATRAI CURIOSOS QUE PASSAM PELA RUA DIREITA E PARAM PARA VÊ-LO PINTAR PRATOS

O Estado de S.Paulo

02 Outubro 2011 | 03h03

Na Rua Direita, do lado da Catedral da Sé, uma pequena multidão se aglomera ao redor do artista Goiano, que usa papel higiênico, algodão, cartões de orelhão e tinta para pintar pratos que custam até R$ 20. "Trabalho com isso há 15 anos. Já pintei capô de carro, parede e carcaça de computador."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.