Papa Bento XVI fala de Irmã Dulce no Vaticano

Pontífice faz saudação especial aos católicos do Brasil pela beatificação da religiosa baiana; Dilma participou da missa em Salvador

José Maria Mayrink, de O Estado de S. Paulo,

22 de maio de 2011 | 14h28

Papa Bento XVI fala aos fiéis na Praça de São Pedro, no Vaticano. Foto: Ettore Ferrari

 

VATICANO - O papa Bento XVI fez uma saudação especial aos católicos do Brasil e, em especial, aos peregrinos de língua portuguesa, no Vaticano, pela beatificação de Irmã Dulce, em Salvador. Presidida pelo cardeal d. Geraldo Majella Agnelo - que representa o papa -, a cerimônia na capital baiana foi acompanhada pela presidente Dilma Rousseff, os governadores da Bahia, Jaques Wagner, e de Sergipe, Marcelo Déda, o ex-governador paulista José Serra, e o prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro, além de ministros, deputados e mais de 600 religiosos, de todo o País.

 

Dilma e políticos acompanham a beatificação em Salvador. Foto: Roberto Stuckert Filho/Divulgação

Veja também:

linkFiéis enfrentam chuva para celebrar beatificação

linkEvento celebra a beata Irmã Dulce

Depois de se dirigir em italiano aos fiéis de Portugal, cumprimentando-os pela beatificação, neste sábado, de Madre Maria Clara do Menino Jesus, em Lisboa, e aos brasileiros, pela beatificação de Irmã Dulce, na tarde deste domingo, o papa falou em português aos peregrinos presentes na Praça de São Pedro.

 

"Ao saudar os peregrinos de língua portuguesa, desejo também associar-me à alegria dos pastores e fiéis congregados em São Salvador da Bahia para a beatificação da Irmã Dulce Lopes Pontes, que deixou atrás de si um prodigioso rasto de caridade ao serviço dos últimos, levando o Brasil inteiro a ver nela a mãe dos desamparados'', disse.

 

"Idêntica celebração teve lugar ontem, em Lisboa, ficando inscrita no álbum dos Beatos a Irmã Maria Clara do Menino Jesus; ela fundou as Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, que ensinou a alumiar e aquecer a multidão de pobres e esquecidos da sociedade, vendo e acolhendo neles o próprio Deus. Enquanto confio à intercessão das novas beatas os seus familiares e devotos, as suas filhas e irmãs espirituais e as comunidades eclesiais de Lisboa e São Salvador da Bahia, de coração concedo-lhe a Bênção Apostólica", acrescentou.

 

Texto corrigido às 19h11

 

(com Tiago Décimo, de O Estado de S. Paulo)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.