Pânico no shopping, após assalto a joalheria

Bandidos invadiram a Dryzun do Morumbi no começo da tarde e fugiram atirando

Plínio Delphino, O Estado de S.Paulo

08 Fevereiro 2011 | 00h00

Uma quadrilha formada por ao menos seis ladrões invadiu o MorumbiShopping na tarde de ontem, causando pânico entre clientes e funcionários. Para fugir após assaltar a joalheria Dryzun, no piso térreo, os ladrões atiraram dentro do shopping e fizeram reféns. Na fuga, dispararam tiros na direção de pedestres. Uma grávida de oito meses caiu e feriu o joelho na queda. Eles encheram mochilas com joias e fugiram em carros roubados.

Segundo a polícia e a administração do shopping, não houve revide por parte da segurança. A polícia vai analisar as imagens do circuito interno para tentar identificar os assaltantes. A Polícia Militar também vai intensificar as blitze no entorno, por considerar que o shopping está localizado em uma região com muitas alternativas de fuga. Este foi o primeiro assalto do ano a uma joalheria - em 2010, foram registrados 16 casos na cidade.

Segundo o coronel Helson Camilli, comandante do 12.º Batalhão da PM, quatro bandidos entraram na joalheria por volta das 13h30. Alguns usavam roupas sociais e outros, trajes comuns, com mochilas. Eles fingiram ser clientes e logo em seguida anunciaram o assalto, tirando das mochilas armas e uma marreta. Com ela, arrebentaram os vidros do mostruário e pegaram joias.

Ao sair da loja, fizeram uma segurança e um outro funcionário do shopping reféns e saíram atirando para abrir caminho. Os tiros atingiram as vitrines da loja Glita e uma escada rolante. As lojas fecharam e clientes e funcionários tentaram se proteger. Quem ficou de fora batia nas portas das lojas para pedir abrigo.

A balconista Catherine Prince, de 31 anos, viu os bandidos apontando as armas para a cabeça de um refém e para as costas do outro. Ao notar os assaltantes, ela e colegas se jogaram no chão. Ela trabalha em uma adega vizinha da joalheria assaltada. Ao chegar à entrada, os reféns foram soltos.

Fuga. Do lado de fora havia ao menos outros dois criminosos armados. Na fuga, atiraram na direção de funcionários que fumavam e clientes. Segundo a vendedora Carolina Borsos, de 24 anos, um dos assaltantes estava entre os fumantes. Ao ver os comparsas, passou a atirar. Houve correria. "Uma menina grávida ao meu lado caiu. Pensei que tinha sido baleada. Foi um desespero. Ele atirou três vezes na nossa direção", disse.

Os assaltantes fugiram em um Vectra preto, um Corolla também preto e outro prata, segundo testemunhas. A PM achou três veículos que teriam sido usados pelos bandidos. Ninguém foi preso.

Segundo a assessoria, "após o incidente, o shopping continuou operando normalmente". A Dryzun disse que só vai calcular o valor do prejuízo após perícia técnica. / COLABOROU LUISA ALCALDE

PARA LEMBRAR

No ano passado, a cidade de São Paulo registrou uma onda de assaltos a joalherias de shoppings. Foram 16 casos entre janeiro e dezembro, um deles no próprio MorumbiShopping. No dia 6 de outubro, a loja da Montblanc foi assaltada por três ladrões, que levaram abotoaduras, brincos e cargas de canetas, avaliados em R$ 10 mil. O primeiro caso de 2010 foi registrado em 14 de janeiro, no Shopping Pátio Higienópolis, no centro, também em uma loja da Montblanc. O último aconteceu no dia 18 de dezembro, na Casa Tokio do Plaza Sul, na zona sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.