Pânico e morte no picadeiro

Em dezembro de 1961, Niterói alvoroçava-se com um dos maiores circos da América Latina. Com 60 artistas e mais de cem animais, o Gran Circo Norte-Americano montou sua tenda colorida de 6 toneladas de náilon na Praça Expedicionário. No dia 17, com lotação esgotada, o circo apresentava-se ao público fluminense pelo 3.º dia consecutivo. O que deveria ser uma divertida tarde de domingo acabou em tragédia. Um incêndio criminoso deixou 503 mortos e pelo menos mil feridos.

LIZ BATISTA / DO ARQUIVO, O Estado de S.Paulo

28 de janeiro de 2013 | 02h01

Comovido, o País se mobilizou para ajudar as vítimas, em uma campanha de solidariedade poucas vezes vista. Em editorial, o Estado cobrou rigor na investigação do incêndio. "Não um inquérito como sempre, mas um inquérito como nunca", pediu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.