Pane no Bilhete Único provoca troca de cartões

Problema na validação nas Linhas 1, 3 e 5 do Metrô, das 4h40 às 8 horas, causou imensas filas; Estado e Prefeitura trocaram acusações

Bruno Ribeiro e Caio do Valle, O Estado de S.Paulo

25 de outubro de 2013 | 02h01

Uma pane no sistema de Bilhete Único impediu que parte dos usuários passasse pelas catracas do metrô de São Paulo, na manhã dessa quinta-feira, 24, inviabilizando o uso também nos ônibus e nos trens. O problema aconteceu nas Linhas 1-Azul, 3-Vermelha e 5-Lilás, desde a abertura do serviço, às 4h40, e só foi resolvido por volta das 8h.

Houve caos no horário de pico da manhã, a ponto de o Metrô se ver obrigado a deixar as catracas livres para que os cidadãos conseguissem chegar ao trabalho. As filas nas estações, especialmente na zona leste da cidade, seguiam pelas passarelas e terminavam no lado oposto da Radial Leste.

Na Penha, por exemplo, a analista de recursos humanos Lays Conrado, de 25 anos, esperou 20 minutos só para entrar na estação. "Acabei desistindo e pegando um ônibus na Radial Leste, senão chegaria atrasada", afirmou ela, que trabalha nas imediações do Parque do Carmo, também na zona leste. "Tinha quatro filas dando a volta, todas enormes, e só duas catracas funcionando."

Nos coletivos, porém, o problema persistiu. A Prefeitura disse que a falha só ocorreu em validadores dos bilhetes instalados pelo governo do Estado, que aceitam o cartão BOM, usado no Metrô, na CPTM e em ônibus intermunicipais.

Os transtornos provocados pela superlotação levaram alguns passageiros até a desistir de viajar. "Moro perto da Estação Artur Alvim. Quando cheguei lá, às 8h, e vi aquilo, voltei para casa e só retornei 1h30 depois, quando vi na TV que o problema estava se resolvendo", disse o bailarino Guilherme Maciel, de 24 anos.

Mesmo após a normalização do sistema, usuários ainda tiveram de enfrentar horas de filas nos postos da São Paulo Transporte (SPTrans) para conseguir trocar os cartões defeituosos por novos, única forma de manter os créditos.

Nem Metrô nem SPTrans deram estimativa de quantos usuários foram prejudicados. A SPTrans afirmou que isso só poderia ser calculado hoje. A Grande São Paulo tem 22 milhões de bilhetes únicos ativos.

Causas. Estado e Prefeitura deram informações diferentes sobre a natureza da pane. Segundo o Metrô informou pela manhã, a falha foi no software do serviço, administrado pela SPTrans. Mais tarde, a empresa municipal distribuiu uma nota negando isso. "Não procede a informação de que o problema tenha se referido à atualização de software."

A SPTrans culpou os validadores instalados pelo Metrô em suas estações. E disse que foi feita uma reunião com técnicos de Metrô e CPTM, Prodata e Autopass (as empresas responsáveis pelos validadores e pelo cartão BOM). "Foi determinado que a Prodata e a Autopass, fornecedora e proprietária do Cartão BOM, respectivamente, desenvolvam, em curto prazo, solução tecnológica para a correção do problema", disse a SPTrans. A Autopass diz que não registrou nenhuma falha ontem.

Créditos. A orientação para passageiros que tiveram créditos zerados é procurar um dos postos de atendimento da SPTrans para solucionar o problema. Em nota, a empresa diz que "os cartões que não foram aceitos nos validadores podem ser trocados por novos, gratuitamente" e "aqueles bilhetes que apresentaram saldo insuficiente, de maneira errônea, serão recarregados com os créditos anteriormente registrados".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.