Pane na CPTM faz viagem durar até 4h

Percurso da zona leste ao centro costuma levar 40 minutos; ontem, falha em cabo elétrico ocorrida na madrugada foi reparada após 11h

BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

12 de dezembro de 2012 | 02h06

Por causa de mais uma pane, passageiros da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) enfrentaram ontem até 4 horas no trajeto entre a zona leste de São Paulo e a região central que em geral dura 40 minutos. Segundo a companhia, desta vez o problema foi um cabo elétrico que rompeu às 3h45, antes de a operação comercial começar, às 4 horas. A circulação só voltou ao normal dez horas depois, às 15 horas.

O fio rompido parou o fornecimento de energia em um dos trilhos entre as Estações Poá e Guaianazes, na Linha 11-Coral (Guaianazes-Estudantes). A linha é uma das alternativas propostas pela CPTM como acesso ao futuro estádio do Corinthians na Copa de 2014. Quando a operação começou, a CPTM passou a oferecer ônibus gratuitos para os passageiros que vinham dessas estações.

A oferta, entretanto, não conseguiu atender todos os usuários. "Quando cheguei ao trabalho, ainda tive de tomar uma bronca. Meu chefe falou que era para eu ter vindo de ônibus. Tem gente que só vive no centro, anda de carro e não tem ideia do que é vir de Ferraz de Vasconcelos para a Luz de ônibus. É por isso que, quando o trem quebra, é tão ruim", reclamou uma operadora de 25 anos.

Em Guaianazes, onde os ônibus deixavam os passageiros para pegarem os trens, usuários ficaram espremidos na plataforma e não conseguiam embarcar. "Saí às 6h40 de Suzano. Cheguei à Barra Funda (na zona oeste), onde trabalho, às 10h20. Demorei uma hora para conseguir entrar no ônibus que levava até Guaianazes. De lá, mais uma hora para conseguir entrar no trem. Quando cheguei ao trabalho, meu chefe falou para eu voltar, porque eu já tinha perdido o dia", conta a arquivista Maria Luzinete de Jesus, de 45 anos.

A CPTM informou que ofereceu alternativas para a população. "Os usuários estão sendo orientados a utilizar a Linha 12- Safira (Brás-Calmon Viana) como opção para chegar mais rápido até a Estação Brás", disse a companhia, em nota enviada ontem no fim da manhã.

Problemas. Na semana retrasada, a CPTM registrou três grandes panes - todas com a necessidade de oferecer ônibus para atender à demanda. A mais recente, no dia 23, também foi causada pelo rompimento de um cabo elétrico, mas na Linha 8-Diamante (Julio Prestes-Itapevi).

Ao longo deste ano, foram mais de 100 ocorrências na CPTM que aumentaram o tempo de espera ou paralisaram a circulação dos trens.

Desde o começo do ano, todas as linhas da companhia têm passado por obras para troca de trilhos, postes e fios aéreos. As obras ocorrem durante os fins de semana. No caso da Linha 11-Coral, entretanto, ela funcionou normalmente no fim de semana passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.