Pane em trem deixa linha parada por 1h15

Composição da CPTM travou entre o Brás e o Tatuapé; passageiros andaram nos trilhos, o que afetou outro ramal

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2011 | 03h02

Um trem da Linha 12-Safira da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) quebrou ontem, às 17h50, e interrompeu a circulação do ramal até as 19h05, no trecho entre as Estações Brás e Tatuapé, na zona leste de São Paulo. Os passageiros apetaram o botão de emergência e andaram sobre os trilhos. Como naquele trecho o ramal é paralelo à Linha 11-Coral, ela também teve o funcionamento afetado. No Tatuapé, por causa do tumulto, as catracas do metrô, onde a transferência para a CPTM é paga, foram liberadas às 18h30 - o que trouxe mais superlotação à Linha 3-Vermelha, a mais saturada do sistema.

Segundo a CPTM, a paralisação da Linha 12-Safira afetou apenas o trecho entre Brás e Tatuapé. Da segunda estação em diante, até a Estação Calmon Viana, os trens circularam normalmente, mas com intervalos maiores. Na 11-Coral, a companhia afirma que não foi preciso paralisar as operações. Mas como havia usuários andando nos trilhos, os trens operaram em velocidade reduzida, o que resultou em intervalos maiores de um trem para outro. "Os usuários foram informados pelo sistema de som", informou a CPTM, em nota.

O problema causou superlotação nas Estações Brás e Tatuapé, principalmente. No Brás, o usuário ficou sem opções, uma vez que as três linhas que atendem a zona leste da capital estavam com problemas.

Ao todo, cinco trens ficaram paralisados entre as duas estações enquanto a falha não era solucionada. A CPTM não divulgou as causas da pane no trem. Somadas, as três linhas transportam cerca de 2 milhões de usuários por dia, mas a empresa também não confirmou o número de pessoas afetadas.

A CPTM informou, em nota, que a situação foi normalizada após a retirada do trem defeituoso, pouco depois das 19h. E que, até as 20h30, não havia registro de vandalismo nem nas estações nem nos trens parados.

Recorrente. Esta foi a segunda pane em trens da zona leste em três semanas. Em 23 de setembro, uma falha na Linha 11-Coral provocou cenário de caos parecido, também durante o horário de pico da tarde: usuários insatisfeitos com a demora para a volta às operações pularam catracas e grades de acesso ao metrô na Estação Tatuapé e chegaram a quebrar telefones de serviço do Metrô. Um trem da Linha 3-Vermelha também a teve os vidros quebrados pelos passageiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.