Pane atrasa 46,5% dos voos da Gol Manutenção faz Galeão sofrer duas quedas de energia

Problema no check-in começou às 8h30, durou 1h e causou efeito cascata pelo País; última falha no sistema de embarque foi há 3 meses

NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

10 Janeiro 2013 | 02h05

Menos de três meses depois da última pane, o sistema de check-in da Gol voltou a dar problemas ontem e chegou a atrasar 46,5% dos voos da companhia por volta das 16 horas.

O problema aconteceu entre 8h30 e 9h30 nos aeroportos do Rio, mas acabou causando um efeito cascata em todo o País. Às 21 horas, a situação já havia melhorado, mas 39,4% dos voos da empresa ainda estavam fora do horário e 53 (7% do total) haviam sido cancelados.

Segundo a companhia, "houve instabilidade no provedor de link de dados Sita", empresa que fornece tecnologia para a Gol.

O problema foi detectado nos Aeroportos do Galeão e Santos Dumont, no Rio, onde foi acionado temporariamente um sistema de back-up para dar conta do processamento de check-in.

Procurada, a Sita lamentou o ocorrido e afirmou que "houve uma breve interrupção na conexão que foi solucionada rapidamente".

Transtornos. Quem precisou viajar ontem diz, porém, que a pane não se restringiu ao Rio. "Estão fazendo tudo manualmente. Além de atrasar em Marabá (no Pará), o voo de conexão também atrasou em Brasília", disse Paula Villarinho, pelo Twitter. Ela havia embarcado em Marabá em um voo para Goiânia que fez conexão em Brasília.

"Alguém sabe o que está acontecendo com a Gol? Estou dentro do avião há uma hora e dizem que o sistema está fora do ar e não podem levantar (voo)", questionava Sérgio Lomachinsky, também pelo Twitter. Ele acabou chegando com duas horas de atraso ao Recife, em voo vindo de Belém.

A última pane de check-in da Gol aconteceu na manhã de 22 de outubro e teve reflexos durante todo o dia.

Já a TAM precisou fazer check-in manual no País três vezes no ano passado.

Explicações. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) anunciou no fim do ano passado que pretendia realizar auditorias nos sistemas de check-in das duas empresas - TAM e Gol - para investigar o motivo das falhas recorrentes.

Ontem, a agência de aviação disse ter enviado um ofício à Gol pedindo explicações sobre a nova pane.

O Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim (Galeão), no Rio, teve duas quedas de energia ontem à tarde. De acordo com a Infraero, estatal que administra o aeroporto, as falhas ocorreram durante manutenção preventiva e tiveram duração de apenas três minutos.

A empresa informou ainda que nenhum voo foi afetado e a manutenção foi acompanhada pela Anac. A primeira interrupção aconteceu às 14h15, conforme a Infraero, e a segunda foi registrada poucos minutos depois.

A operação foi feita depois de a Infraero ter sido multada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) por causa de um apagão verificado em 26 de dezembro. Na ocasião, a Infraero levou dez minutos para começar a restabelecer a energia. Com muito calor, passageiros sofreram com falta de ar-condicionado.

/ GLAUBER GONÇALVES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.