Países 'se abraçam' em monumento

Aos 90 anos, a escultora Odette Eid é puro entusiasmo - e revive como se fosse ontem o processo de criação da obra que incrusta um cedro-do-líbano no desenho do território brasileiro.

O Estado de S.Paulo

25 Novembro 2012 | 02h02

O monumento fica na Avenida República do Líbano, zona sul da capital paulista, e foi uma homenagem da comunidade daquele país aos 500 anos do Brasil, em 2000.

"Para unir os símbolos (mapa e árvore), parti da ideia de que há libaneses do Oiapoque (AP) ao Chuí (RS). É como se os dois países estivessem se abraçando", anima-se Odette, que nasceu em Zahle e veio para São Paulo com a família ainda aos 3 anos. "Coloquei também pessoas se abraçando ao redor do pé do mapa e do tronco."

A única tristeza da artista é o roubo, pouco após a colocação da obra, de uma pedra que havia sido especialmente encomendada do Líbano para compor a escultura. "Deu muito trabalho trazer, ficava na base. E o tom das pedras de lá é diferente do tom das daqui", lamenta.

Da ideia ao acabamento na peça, Odette estima ter levado "bem uns quatro meses".

Feita de bronze, a obra foi um pedido da comunidade libanesa no País, que até quarta-feira celebra a Semana de Turismo Libanês no Brasil. O evento incluiu visitas a São Paulo na semana passada do ministro da pasta, Fadi Abboud, e da Miss Líbano 2012, Rina Chibany. / DENIZE GUEDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.