Países da África ampliam a restrição a voos

O Senegal anunciou ontem o bloqueio de voos que têm a Libéria como ponto de partida ou de chegada. "Reforçamos nossa estratégia de proteção, suspendendo conexões com países afetados por Ebola", disse o ministro do Turismo e do Transporte Aéreo, Abdoulaye Diouf Sarr. Contatos com Serra Leoa e Guiné também foram suspensos.

O Estado de S.Paulo

23 Agosto 2014 | 02h06

As fronteiras ao sul do Senegal com Guiné foram fechadas. Um avião de ajuda da Organização das Nações Unidas (ONU) foi proibido de pousar, e o governo disse que analisará exceções ao bloqueio. Agências de ajuda humanitária têm sede no Senegal, por causa da condição política estável do país.

Outros países adotaram medidas semelhantes. O Chade fechou sua fronteira com a Nigéria e a África do Sul impôs restrições a viajantes vindos dos países com mais casos da doença, barrando até mesmo os próprios cidadãos. No Congo, 13 pessoas morreram por uma doença hemorrágica. A suspeita de que se tratava de Ebola foi descartada pelo governo local após exames nos pacientes. O diagnóstico dos casos não foi confirmado e autoridades cogitam febre tifoide. / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.