Pais recuperam filha recém-nascida sequestrada em São Paulo

Beatriz Mota Magalhães, acusada pelo rapto, foi reconhecida por filmagem e será indiciada assim que for detida

Fabiana Marchezi, Central de Notícias,

28 de agosto de 2009 | 15h49

 

SÃO PAULO - A recém-nascida Amanda foi entregue de volta na tarde desta sexta-feira, 28, aos seus pais, Josiele do Espírito Santo e Edno Santos Vargas. A criança havia sido sequestrada na quarta-feira, por uma mulher que disse que iria ajudar. A família foi despejada da favela Olga Benário, no Capão Redondo, zona sul de São Paulo.

 

Segundo a polícia, Beatriz Mota Magalhães, de 18 anos, acusada pelo rapto, está foragida e assim que for encontrada vai ser indiciada e responder por sequestro e cárcere privado, cujas penas variam entre dois e cinco anos de prisão. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, a mãe de Beatriz levou a criança até a delegacia na noite de quinta, depois de reconhecer sua filha com o bebê nas imagens gravadas por câmeras de segurança de uma farmácia, divulgadas pela imprensa.

 

A recém-nascida passou a noite em um abrigo e foi levada nesta manhã para o 47º DP, onde os pais reconheceram e recuperarm a filha. Segundo a polícia, a mãe de Beatriz contou que a filha estava grávida e perdeu o bebê recentemente.

 

A sequestradora tem cerca de 1,60m, cabelo preto, é branca e, segundo Josiele e outras pessoas que a viram, tinha boa aparência e era articulada. Ela chegou a uma unidade da Igreja Adventista do Sétimo Dia que acolheu algumas famílias despejadas e disse ser voluntária. Pelos relatos das testemunhas, a mulher procurou diretamente o bebê, que tinha aparecido na TV nos dias anteriores.

 

Atualizado às 16h32 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
bebêsequestrofaveladesocupação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.