Pais de vítima depõem sobre perícia e foto

Os pais de Gabriella Nichimura, de 14 anos, que morreu ao cair do brinquedo La Tour Eiffel, no parque Hopi Hari, em 24 de fevereiro, reafirmaram ontem à Corregedoria da Polícia Civil em Campinas que o primeiro assento periciado não foi o usado pela garota. Silmara e Armando Nichimura pediram que a responsabilidade pelo equívoco na perícia e o vazamento de fotos da menina morta sejam investigados.

O Estado de S.Paulo

30 Março 2012 | 03h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.