'Pais' da Poli fizeram Praça da República

A área onde hoje fica a Praça da República já foi o lugar onde os paulistanos iam nos fins de semana para ver touradas. Chamava-se Largo dos Curros. Até que, no fim do século 19, os engenheiros Francisco de Paula Ramos de Azevedo e Antonio Francisco de Paula Souza foram chamados para construir ali a Escola Normal Caetano de Campos (hoje sede da Secretaria Municipal da Educação).

O Estado de S.Paulo

16 de dezembro de 2012 | 02h03

A praça, de estilo europeu, foi batizada em 1889 - o ano da Proclamação da República. Os responsáveis por sua construção também podem ser descrito como "pais" da Engenharia paulista: eles fizeram parte do grupo que fundou a Escola Politécnica, aberta em 1893 - Souza foi o primeiro diretor da instituição.

Ramos de Azevedo também é responsável por boa parte dos cartões-postais do centro da cidade: além do prédio da secretaria, assina o do Teatro Municipal, o edifício dos Correios, o Vale do Anhangabaú e a sede do Tribunal de Justiça, ao lado da Praça da Sé. Ele estudou Engenharia na Bélgica e, quando voltou ao Brasil, começou a trabalhar com projetos em Campinas, no interior. Depois, mudou para a capital.

Já Paula Souza teve carreira política de destaque no começo da República. Foi deputado estadual (chegou a presidir a Assembleia Legislativa em 1892) e ministro dos Transportes na gestão de Floriano Peixoto. / BRUNO RIBEIRO e DIEGO ZANCHETTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.