Pai que abusava da filha é condenado a 11 anos de prisão

Após ser expulso de casa pela mulher, marido ainda tentou matá-la e a filha, o que aumentou pena

Sandro Villar, especial para O Estado de S.Paulo

04 de novembro de 2008 | 19h15

Por ter abusado de sua filha, acusado de atentado violento ao pudor, Josias Alves da Silva foi condenado a 11 anos de prisão, em regime fechado, pelo juiz Fábio Mendes Ferreira, do Fórum de Presidente Epitácio, no interior paulista. A jovem Camila, agora com 19 anos, começou a ser abusada pelo pai em 1998, quando tinha apenas 9 anos. As investidas do pai só terminaram em 2006, quando a filha completou 17 anos. Camila decidiu contar tudo para a mãe porque Josias insistiu em continuar com o abuso. A mãe o denunciou à polícia, e o expulsou de casa. Inconformado, ele disparou dois tiros contra a residência para tentar matar mãe e filha, segundo uma testemunha. Com o atentado, a pena, que era de nove anos, foi ampliada para 11 anos. Na sentença, publicada na segunda-feira, o juiz concedeu ao acusado o direito de recorrer em liberdade. Para o magistrado, houve um delito para obter sexo fácil com "satisfação bestial e degenerada".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.