Pai foi preso após bater e obrigar filho a comer cebola

Mãe de três filhos, Mário, de 9 anos, Sofia, de 6, e Luigi, de 3, a editora de eventos Amanda Sardei, de 31, adotou o diálogo e a iniciativa de tirar dos filhos o que eles gostam de brincar - caso sejam desobedientes. "Prefiro conversar. Aí se não adiantar eu falo com rispidez e dou broncas. Se não obedecerem, eu tiro algo como videogame ou carrinhos." Para Amanda, bater não resolve na hora de educar. "Por isso, prefiro a conversa."

Camilla Haddad, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2010 | 00h00

A mesma tranquilidade de Amanda não é vista em todos os casos. Irritado por não conseguir fazer o filho de 6 anos se alimentar com a comida servida na mesa, o desempregado A. F, de 29, perdeu o controle e obrigou a criança a comer quatro cebolas cruas como forma de castigo.

O caso, ocorrido no dia 1º, foi parar na delegacia do Jaçanã, na zona norte. É que, além das cebolas, o pai da criança teria batido no menino, segundo a polícia. A criança foi parar no hospital e A. foi preso por tortura, conta o delegado Pietro Antônio Minichillo de Araújo.

Na prisão. A polícia foi avisada pelo avô do garoto que afirmou ter visto o pai bater no filho por 40 minutos e o obrigado a comer cebolas. Ontem à tarde o avô da criança disse que ela está sob os cuidados da mãe e seu filho ainda estaria preso pelo crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.