Pai descarta suicídio de modelo

ESPECIAL PARA O ESTADO

Cíntia Bringhenti, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2011 | 00h00

VITÓRIA

Girley Viturino, pai de Jeniffer Corneau Viturino, a modelo brasileira que morreu na sexta-feira em Lisboa ao cair de um prédio, não acredita em suicídio. Para ele, a jovem de 17 anos estava feliz com a carreira e não tinha motivos para se matar. Jeniffer caiu do 15.º andar do prédio em que vive seu namorado, o empresário português Miguel Alves da Silva, em um bairro de classe média alta da capital portuguesa.

O pai da modelo, que mora em Vitória (ES), também afirmou que a filha brigava constantemente com o namorado. "O que eu fiquei sabendo é que ultimamente ela tinha alguns atritos com o namorado. Eles viviam brigando. Não sei o motivo. Mas, como ela era uma pessoa conhecida e desfilava, talvez tenha sido por ciúmes", afirmou.

Girley enfatizou que a filha estava vivendo um momento bastante feliz de sua vida e não teria motivos para se suicidar. "Para mim não é simplesmente pular de um prédio e cair. Com a cabeça que ela tinha, aprendendo inglês e francês e fazendo três desfiles por semana. Então, você fica totalmente descontrolado", concluiu.

Segundo o jornal português Correio da Manhã, Jeniffer teria deixado um bilhete para a família em que afirmava querer colocar fim à vida por não aguentar mais a violência do namorado, de 31 anos. O relacionamento dos dois durava um ano e meio, segundo a família da jovem. Jeniffer morava em Lisboa havia quatro anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.