Pai confessa ter participado do assassinato dos filhos em SP

Garotos de 12 e 13 anos foram esquartejados e tiveram os corpos jogados no lixo; casal foi indiciado pelo crime

Humberto Maia Junior, Jornal da Tarde

10 de setembro de 2008 | 18h18

João Alexandre Rodrigues confessou, na madrugada desta quarta-feira, 10, ter participado do assassinato dos dois filhos, Igor Giovani e João Victor dos Santos Rodrigues, na última sexta-feira. Na versão que apresentou à Polícia Civil de Ribeirão Pires ele admitiu ter matado Igor, de 12 anos. Já João Victor, de 13, teria sido morto, segundo ele pela madrasta, Eliane Aparecida Antunes Rodrigues.   Veja também: Madrasta que matou dois adolescentes é indiciada em SP Conselho investigará maus-tratos a adolescentes mortos em SP   Segundo o delegado seccional de Santo André, Luiz Carlos dos Santos, Rodrigues confessou o crime após ter sido confrontado com provas "irrefutáveis". Na terça-feira à noite, peritos foram à residência onde morava com os filhos e a madrasta e descobriram marcas de sangue espalhadas pela casa e nos chinelos dele. Outras provas foram apresentadas, mas o delegado não revelou quais foram.   Pouco antes de confessar, o pai chorou ao ser confrontado com as provas. Em seguida, narrou tudo o que teria acontecido. "Os filhos foram mortos porque atrapalhavam a relação do casal", disse Santos.   Após serem encaminhados de volta para casa após fugirem, na madrugada da última quinta feira, o pai e a madrasta teriam discutido com os filhos. "Os filhos disseram que foram expulsos pela madrasta. Ela negou e disse que os adolescentes fugiram por conta própria." Após uma resposta "malcriada" do filho mais novo, Rodrigues teria corrido atrás dele até a cozinha, onde o teria sufocado com as mãos. Nesse momento, o irmão mais velho correu para o quarto e foi perseguido por Eliane, que o teria matado com uma faca.   Em seu depoimento, a madrasta assumiu participação nos crimes, mas disse ter apenas ajudado o marido na tentativa de ocultação dos cadáveres. O casal tentou queimar os corpos após o crime. Eles não conseguiram. Por isso, esquartejaram os cadáveres, colocaram os restos em cinco sacos plásticos, que foram jogados em diferentes locais.   Rodrigues e Eliane foram indiciados por homicídio qualificado, vilipêndio ao cadáver e ocultação de cadáver. O delegado disse que a participação efetiva de cada um deles no crime será descoberta na reconstituição, prevista para esta sexta-feira, segundo a Secretaria de Segurança Pública.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.