Pai baleado capota carro e bebê sobrevive

A família do administrador de empresas M. sobreviveu a um ataque à bala e a um acidente na mesma noite. Ele levou três tiros de ladrões no Jaçanã, na zona norte, anteontem, fugiu e dirigiu por sete quilômetros à procura de um hospital. Em uma entrada da Marginal do Tietê, perdeu o controle de seu Peugeot 307 e o carro capotou. A filha, de 24dias, foi arremessada para fora do veículo, mas nada sofreu. A mulher dele feriu-se levemente.

Bruno Lupion, Elvis Pereira, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2010 | 00h00

O caso aconteceu após a família se perder no bairro da zona norte. Depois de passar a tarde na casa da mãe, M., de 40 anos, saiu para entregar lanches a seus funcionários, que trabalhavam em um evento. Deixou a casa da mãe, que prepara as refeições, com a mulher, a analista R., de 40 anos, e a filha, nascida no dia 2.

M. atrasou-se e, ao chegar à empresa onde seus funcionários estavam, encontrou o imóvel fechado. Todos haviam ido para outro endereço. Informado por telefone sobre o novo local de entrega, seguiu para lá. Porém, mesmo com o GPS, perdeu-se.

Às 21h24, o administrador parou na frente de uma casa na Rua Astecas, abaixou o vidro da janela do passageiro e perguntou a três mulheres que conversavam na calçada se conheciam a via para onde precisavam ir. Recebeu não como resposta e, em seguida, uma série de tiros.

Os disparos partiram da arma de um desconhecido que descera de um Corolla prata. "Ele (M.) estava dando sinal de seta para o lado direito. E já vinha um carro atrás, devagar também", contou uma testemunha à reportagem. "Pensei que ele fosse ultrapassar, porque o carro preto estacionou. Mas ele parou e o carona já desceu atirando", disse.

Para a polícia, ao perceber que seria roubado, o administrador acelerou o Peugeot. O agressor atirou seis vezes. Duas balas acertaram M. no tórax e uma terceira, nas costas. As três mulheres entraram para casa correndo.

Ferido, M. dirigiu até a Rodovia Fernão Dias e saiu à busca de um hospital. A 200 metros do Pronto-Socorro Vila Maria, em uma entrada da Marginal do Tietê, perdeu o controle da direção e o carro atingiu o guardrail. O veículo capotou diversas vezes e parou ao atingiu uma árvore.

Ao notar que a filha não estava no seu colo, a analista R. deixou o carro desesperada à procura da criança. A recém-nascida estava numa moita, a cerca de 15 metros da árvore. "Na hora do assalto a mãe, por instinto, tirou o bebê da cadeirinha e o segurou no colo", disse o irmão de R.. Ele acredita que a menina foi arremessada durante a capotagem pelo vidro de trás do Peugeot, destruído por um dos tiros do ladrão.

Resgatados, o casal e a criança foram atendidos no PS da Vila Maria e, depois, transferidos. O administrador foi internado no Hospital Itacolomy, em São Bernardo do Campo, ABC. Segundo o cunhado, ele perdeu bastante sangue. Foi operado e, na noite de ontem, não corria risco de morte. R. e a filha foram encaminhadas à unidade do Hospital São Luiz no bairro Anália Franco, na zona leste de São Paulo. A primeira recebeu alta. Apesar de não ter sofrido nenhum ferimento grave, a menina era mantida na Unidade de Terapia Intensiva em obervação. Contudo, estava bem e chegou a ser amamentada pela mãe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.