Paes pede desculpas a Beatriz Segall por queda

O prefeito Eduardo Paes telefonou ontem à atriz Beatriz Segall e pediu desculpas em nome da cidade do Rio pela queda sofrida por ela na tarde domingo, nas proximidades de um teatro na Gávea, zona sul da cidade. A atriz, de 87 anos, divulgou ontem à imprensa uma foto na qual aparece com hematomas no rosto e reclamou do que considera o "péssimo estado das calçadas" do Rio.

João Luiz Sampaio, O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2013 | 02h05

"Eu fiz questão de que a foto chegasse às pessoas justamente para evidenciar essa situação e acho que tomei a decisão certa", disse ela ontem ao Estado. "Só assim podemos ajudar a resolver um problema que com certeza atinge diversas pessoas todos os dias, pessoas que não têm como reclamar e exigir mudanças. A fama nos dá o dever de agir quando possível. E foi por isso que optei expor o que houve comigo."

A atriz tropeçou em pedras soltas de uma calçada nas proximidades do Teatro Casa da Gávea, localizado na Praça Santos Dumont, onde iria assistir a peça O Tempo e os Conways. Foi socorrida por um amigo que a acompanhava e levada ao hospital. Não houve fraturas, mas a atriz foi orientada pelos médicos a ficar em casa. "Nem tenho como sair por enquanto, agora que o edema está baixando é que estou vendo como foi feia a batida", disse, já de volta a São Paulo.

Durante uma coletiva de imprensa realizada na tarde de ontem, que tinha como tema as operações relacionadas à programação dos próximos dias da Jornada Mundial da Juventude e da visita do papa Francisco, o prefeito já havia se pronunciado sobre as reclamações da atriz e pedido desculpas.

"Fico satisfeita que o tema tenha atingido esta repercussão. O prefeito também me ligou e fiquei feliz com a conversa que tivemos. Ele se mostrou bastante consciente do problema das calçadas e disse que vai tomar providências, que esta será uma prioridade daqui em diante", disse a atriz.

Ela também fez questão de defender a equipe do teatro, que recebeu ontem, segundo ela, notificação exigindo o conserto em até cinco dias da calçada. "Eles não tiveram culpa de nada. Em frente do teatro, está tudo muito arrumadinho, o problema está mais ao lado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.