Padre é preso acusado de ato obsceno, corrupção e dirigir alcoolizado

CURITIBA

, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2010 | 00h00

O padre Silvio Andrei, de 40 anos, pároco da Paróquia Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos, na Região Episcopal Sé da Arquidiocese de São Paulo, foi preso à 1h10 de ontem em Ibiporã, no norte do Paraná. Segundo a Polícia Militar em Ibiporã, ele é acusado de ato obsceno, corrupção ativa e embriagues ao volante. O advogado de Andrei, José Adalberto Almeida da Cunha, disse que não há nada que prove as acusações feitas pelos policiais. Ele afirmou que, antes de celebrar o casamento, o padre teria tomado alguns remédios para combater uma leve depressão e para relaxamento muscular. Depois da celebração, o religioso foi à festa, onde "se excedeu um pouco no vinho", segundo o advogado. O primeiro pedido de fiança e concessão de liberdade foi negado na tarde de ontem por falta de documentos. Cunha disse que tentaria obtê-los ainda ontem, ao mesmo tempo em que prepararia um pedido de habeas corpus a ser enviado por fax ao Tribunal de Justiça, em Curitiba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.