Padre é condenado por molestar adolescentes em igreja no interior de SP

Defesa do paroquiano de Franca recorreu e ele aguarda julgamento do recurso em liberdade

Rene Moreira, especial para O Estado de S.Paulo

08 Novembro 2011 | 17h29

FRANCA - Um padre foi condenado a 60 anos e oito meses de prisão por molestar ao menos quatro adolescentes que atuavam como coroinhas na Paróquia São Vicente de Paulo, em Franca, a cerca de 400 km de São Paulo. O padre José Afonso Dé, de 76 anos, vai recorrer em liberdade, já que a defesa dele obteve um habeas corpus para o julgamento de recurso.

Os crimes de estupro e atentado violento ao pudor ocorreram em 2010, quando o Padre Dé, como era conhecido pelos fiéis, ainda dirigia a paróquia no bairro Jardim Tropical, que fica em uma das regiões mais populosas da cidade. Os jovens, com idade entre 11 e 16 anos, contaram à polícia que haviam sido molestados.

O caso chamou atenção e na época o padre convocou uma entrevista coletiva para se defender das denúncias. Entre outras coisas, ele alegou que sempre foi muito afetivo e que isso poderia ter gerado alguma confusão. "Podem ter interpretado mal um gesto de carinho, uma carícia...", disse em um trecho da entrevista. Em outro, completou: "Nunca cheguei perto de um menino com desejos sexuais".

A decisão da 2ª Vara Criminal saiu há quatro meses, mas somente agora se tornou pública porque corre em segredo de Justiça. A delegada Graciela de Lourdes David Ambrósio, responsável pelo inquérito, e o Ministério Público disseram que não vão se manifestar sobre o caso.

O padre está desde o ano passado afastado da igreja e também se nega a falar novamente sobre qualquer assunto que envolva as denúncias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.