Reprodução
Reprodução

Padrasto é condenado a 45 anos de prisão por estuprar e matar bebê

Morte de criança causou comoção em Ribeirão Preto, no interior paulista, em março deste ano; Wellington Aparecido Braga Vieira nega o crime

Rene Moreira, Especial para o Estado

25 de novembro de 2016 | 09h55

FRANCA - A Justiça condenou um padrasto a 45 anos de prisão por estuprar e matar um bebê de 1 ano e quatro meses em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. O crime aconteceu em março deste ano e causou comoção na cidade, sendo o julgamento realizado nesta quinta-feira, 24.

O réu Wellington Aparecido Braga Vieira nega o crime, mas exames do Instituto Médico Legal (IML) apontaram marcas de mordidas e hematomas na criança, que segundo laudo morreu por hemorragia abdominal. Ele foi preso na época e deve seguir em regime fechado, sendo a decisão passível de recurso. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.