Pacote de R$ 1,8 bi prevê mais 8 km de Marginal do Pinheiros na zona sul

Plano viário inclui duas novas pontes, além de três faixas de tráfego e uma ciclovia entre as Pontes Transamérica e Vitorino Goulart

Adriana Ferraz e Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

23 de fevereiro de 2012 | 23h00

SÃO PAULO - A margem direita da Marginal do Pinheiros, sentido zona sul, vai ganhar 8 quilômetros de pista na região de Interlagos. O prolongamento faz parte do novo plano viário apresentado pela Prefeitura para desafogar o trânsito local. Com investimento previsto em R$ 1,8 bilhão, o projeto lista ainda outras nove intervenções em vias próximas, como as Avenidas Guarapiranga, Cachoeirinha e M’Boi Mirim, em um prazo de quatro anos.

A extensão começa na Avenida Guido Caloi, na altura da Ponte Transamérica. Para esse ponto, estão programadas três novas faixas de tráfego, além de uma ciclovia com 3 metros de largura até a Ponte Vitorino Goulart da Silva, já nas proximidades do Autódromo de Interlagos. O conjunto ainda prevê uma nova ponte sobre o rio e outra sobre um dos canais da Represa do Guarapiranga.

As intervenções na Marginal representam quase um terço do total do orçamento. O gasto estimado é de R$ 470 milhões. Segundo o secretário municipal de Infraestrutura e Obras, Elton Santa Fé Zacarias, o investimento se justifica porque a obra dará mais mobilidade à zona sul. "O motorista que segue pela Marginal na direção de Interlagos enfrenta hoje um estrangulamento na Ponte Transamérica, que será sanado com as mudanças propostas", afirmou.

A pista complementar será construída, segundo Zacarias, em lotes estaduais que pertencem à Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae). "São áreas livres de ocupação, o que facilita o projeto", diz o secretário. Para viabilizar a construção, no entanto, é necessária autorização da gestão Geraldo Alckmin (PSDB). "Já estamos negociando a liberação dos terrenos e a realocação das torres de transmissão que precisarão ser transferidas", disse o secretário.

Os eventuais benefícios que a obra trará, no entanto, não são consenso entre os especialistas em transporte público. Para o consultor Horácio Augusto Figueira, o principal reflexo da ampliação da via será a atração de mais carros para a região - e, com eles, obviamente mais trânsito. "O usuário de ônibus, do trem que circula na Marginal, poderá optar por utilizar o automóvel. E os carros que usam outras rotas também devem migrar. O congestionamento, que já é pesado, tende a aumentar", avalia.

A expectativa da Prefeitura é licitar o pacote em até 90 dias. As obras, no entanto, não devem ser iniciadas nesta gestão, apesar da intenção do prefeito Gilberto Kassab (PSD) em assinar o contrato de execução logo depois de receber aval e "patrocínio" do Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.