Pacaembu: Kassab quer reforma no estádio para volta de shows

Eventual obra teria de preservar os traços arquitetônicos do local e da Praça Charles Miller, que são tombados

FELIPE FRAZÃO, O Estado de S.Paulo

14 Outubro 2011 | 03h03

Para estender a "vida útil" do Estádio Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu, o prefeito Gilberto Kassab (PSD) defendeu ontem a realização de obras de isolamento acústico e construção de estacionamentos no entorno do centro esportivo da zona oeste de São Paulo. "Temos de encontrar um modelo de convivência do Pacaembu com a cidade."

Para Kassab, o estacionamento nas laterais poderia ser usado em dias de shows e jogos, mas também por alunos da Fundação Armando Alvares Penteado (Faap). A faculdade fica ao lado do estádio e tem falta de vagas.

Uma eventual reforma teria de preservar os traços arquitetônicos e urbanísticos do estádio e da Praça Charles Miller, que são tombados pelo patrimônio histórico. Ainda não há estudo nem projeto.

O Pacaembu deve ficar cada vez mais ocioso, já que Corinthians e Palmeiras - que pagam até R$ 66 mil para disputar partidas de futebol no estádio - estão construindo arenas esportivas próprias. Decisão judicial a favor de moradores do bairro também impede shows musicais lá.

Kassab avalia se festa de 100 anos da Assembleia de Deus, em novembro, poderá ocorrer no Pacaembu. Consultada, a Associação Viva Pacaembu não se opôs à ideia da reforma. Nem à comemoração evangélica caso o barulho fique limitado a 50 decibéis.

"Ele (Kassab) tem os instrumentos. É só fazer cumprir a lei. Caso não faça, vai dar a mão à palmatória para que os moradores tomem alguma atitude como no passado", diz o presidente do conselho da entidade, Pedro Py.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.