Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE

Outro prédio da Tagipuru é liberado pela Defesa Civil

Moradores do Edifício Santa Maria também já foram autorizados a voltar para os apartamentos

Felipe Oda - O Estado de S. Paulo,

19 Fevereiro 2010 | 09h50

Nove dias após o aparecimento de rachaduras e da interdição de dois prédios (um comercial e um residencial), os condôminos do Edifício Paraná, na Rua Tagipuru, Barra Funda, poderão retornar. A liberação do prédio de escritórios deverá ocorrer hoje, segundo a Defesa Civil e a Subprefeitura da Lapa. Os moradores do vizinho Edifício Sandra Maria já começaram a voltar.

 

"Recebemos, ontem (anteontem) à tarde, da Gattaz (construtora de uma obra na mesma rua)os laudos topográficos de fundação e de execução do estaqueamento (obra de contenção para evitar novo deslocamento do imóvel). Na sexta-feira, faremos uma nova vistoria para liberar o imóvel", afirmou Nelson Masahiro Suguieda, coordenador distrital da Defesa Civil da Subprefeitura da Lapa.

 

A desinterdição do Paraná, imóvel comercial, ocorrerá um dia após a do Sandra Maria. "No meu prédio não ocorreu nada. Estou muito tranquila e feliz por ter voltado para o meu ‘cantinho’", afirma Tânia Nisi, de 51 anos, síndica do Sandra Maria.

 

Já no Paraná, a notícia da liberação foi recebida com alívio e tensão pelos proprietários de salas no local. "Não gostaria de voltar antes da elaboração de um laudo sobre os motivos das rachaduras, mas tenho compromissos profissionais a cumprir. Não tenho escolha", diz o contador Xisto Eduardo Serrano, de 67 anos.

 

No dia 11, os edifícios, que eram geminados, se separaram. Um vão de 4 centímetros apareceu entre os dois. Obras da construtora Gattaz em um terreno na mesma rua podem ter provocado o deslocamento.

Mais conteúdo sobre:
Barra Funda Defesa Civil prédios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.