Outro cardápio variado para escutar rock de qualidade

Cenário: Marcelo Moreira

É JORNALISTA DO GRUPO ESTADO, EDITA O BLOG COMBATE ROCK, O Estado de S.Paulo

13 Julho 2012 | 03h04

Aparentemente, o século 21 tem se mostrado inóspito para quem gosta de rock em São Paulo. Apenas uma emissora FM é especializada no gênero e duas importantes casas de shows vão dar lugar a empreendimentos imobiliários - o Palace e o Via Funchal. Mas é só aparência: o rock continua a cara da metrópole e está mais vivo do que nunca.

O classic rock é o prato principal dos bons Morrison e Dinossauros Rock Bar, em Pinheiros, e do tradicional Café Piu Piu, no Bexiga. O pessoal do heavy metal bate ponto no Blackmore, em Moema, e no Manifesto, no Itaim. Em comum, todas as casas têm cardápios simples, mas interessantes.

Gosta de clássicos dos anos 1950 e também de pop rock? Então o endereço é o Memphis, em Moema. Sons mais alternativos? A região do Baixo Augusta está coalhada de bares descolados, assim como as baladas rock do hotel Cambridge, no centro.

Para os mais radicais, há alternativas ainda mais empolgantes. O blues é o carro-chefe do Willie Dixon Bar, no Jardim Planalto, na zona leste, e no Bar do André, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Em Santo André, o Ace of Spades e o Central Rock bar concentram os amantes do hard rock e do heavy metal.

Lugar para celebrar a boa música não falta. Em tempos de downloads ilegais de arquivos - com a consequente desvalorização momentânea da música como produto cultural -, ainda é prazeroso saborear rock na capital paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.