Outras empresas também querem operar sistemas

Além do Itaú, pelo menos mais três empresas têm planos de criar sistemas de empréstimo de bicicletas. O Bradesco, por exemplo, apresentou à Comissão de Proteção à Paisagem Urbana da Prefeitura (CPPU) um plano inicial para colocar à disposição 300 bicicletas no entorno das Ciclofaixas de Lazer - por meio da sua seguradora, a empresa já opera o evento em todos os fins de semana desde 2009. A CPPU, porém, exigiu que o empréstimo de bicicletas funcionasse também durante os dias de semana. Ainda não há data para o início do programa.

O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2012 | 03h07

A AES Eletropaulo e a Ambev também fizeram contato com a Prefeitura para apresentar suas propostas, mas ainda não há definição sobre o modelo que cada uma dessas empresas vai adotar nem sobre o número de bicicletas que poderão ser colocadas à disposição dos paulistanos.

Thiago Bennichio, diretor-geral da Associação Ciclocidade, diz que uma das preocupações dos ciclistas é em relação ao excesso de sistemas separados para o empréstimo de bikes. "Como várias empresas querem colocar propaganda nas ruas, cada uma deverá ter um sistema separado. Seria muito mais simples para o cidadão se eles se integrassem." / E.A. e R.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.