Outra opção é a mais antiga igreja da capital

Aluguel da Capela de São Miguel Arcanjo sai por R$ 1 mil, mas há restrições para que se preserve o patrimônio

O Estado de S.Paulo

03 Janeiro 2013 | 02h03

Um outro local histórico recém-aberto para casamentos, depois de um longo período de restauração, é a Capela de São Miguel Arcanjo, em São Miguel Paulista, na zona leste da cidade. Trata-se da igreja mais antiga de São Paulo, com 390 anos. As obras de restauro começaram em 2006 e a construção ganhou museu e ainda viu a redescoberta de duas pinturas murais que estavam escondidas atrás de altares havia pelo menos 250 anos. Reabriu há menos de um ano.

"Aproximadamente 95% dos visitantes não são pagantes. Em função disso, uma forma encontrada para mantermos o espaço é a realização dos casamentos", explica César Barbosa da Silva, da Associação Cultural Beato José de Anchieta. Cobra-se R$ 1 mil para aluguel do espaço. O primeiro casamento aconteceu no dia 8 de novembro.

Depois houve um segundo, no dia 24 de novembro, e a agenda continua aberta para o ano de 2013.

Restrição. Mas não é simples escolher um local como São Miguel, Mosteiro, Pátio do Colégio ou Sé para casar. Os cuidados com o patrimônio histórico envolvem escolher uma decoração minimalista e tomar cuidado com a luz - não pode foto com flash apontada para algumas obras de arte, por exemplo. "Aqui há a preocupação também com o visual, com elementos que poluam o ambiente e não permitam a leitura adequada do espaço", diz Silva. "Na decoração é permitido tapete vermelho e quatro arranjos florais. Música, só o órgão da igreja e instrumentos de sopro e cordas. Fotografia e gravação, sem flash."

Ao contratar empresas terceirizadas para filmar, fotografar, cuidar da iluminação e da música, a orientação de Silva é levá-los antes para conhecer o espaço e as peculiaridades de um patrimônio histórico. "Existem bancos de 100 anos, instalações elétricas antigas. Quem vai manusear precisa de cuidados específicos. Um decorador pode até levar multa do órgão de patrimônio histórico se não tiver cuidado." /N.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.