Osmar Santos, ex-locutor de futebol

Futebol, arte e passeios por Higienópolis

Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

08 de julho de 2010 | 00h00

Nascido em 1959 na cidade de Osvaldo Cruz, no interior do Estado, o lendário radialista e ex-locutor de futebol Osmar Santos trocou sua terra natal por São Paulo, em 1972, e não volta atrás por nada. Foi aqui que ele alcançou o sucesso que o colocou no rol dos principais narradores esportivos do País.

Em 1994, Osmar sofreu um grave acidente automobilístico que afetou sua capacidade de falar e algumas funções motoras, obrigando-o a abandonar o ofício de locutor. Para continuar produzindo, trocou então os microfones por pincéis - hoje, aos 60 anos, é artista plástico e costuma expor seus quadros em galerias e museus pela cidade, como o Museu do Futebol, no Pacaembu.

Morador solitário de um apartamento na Rua Ceará, em Higienópolis, o ex-locutor tem como hábito passear pelos parques e praças perto de casa - sua favorita é a Vilaboim -, frequentar teatros e óperas à noite e conhecer restaurantes novos sempre que possível - apesar de já ter há tempos sua lista de preferidos, como o Spot, na região da Avenida Paulista, e a Casa da Fazenda, no Morumbi.

Outro hábito que ele não perde é o futebol. Osmar acompanha a Copa do Mundo e, ontem, torceu pela Alemanha contra a Espanha - mas acredita que o futebol mais redondo é mesmo o da Holanda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.